Dificuldade de acesso ao hidrômetro pode causar problemas na conta d’água

Cães bravos, portões e muros altos não são páreo para os leituristas que prestam serviço junto ao SAAE, o que dificulta o trabalho deles são os hidrômetros escondidos. Conhecidos em toda cidade, não pelos nomes, mas pela difícil tarefa que os leva a percorrer Pompeia, Paulópolis e Novo Cravinhos a pé, a dupla tem a missão de realizar a medição do consumo de água e esgoto.

Os percalços encontrados no local de trabalho são ossos do ofício, contudo o pior tem sido a falta de acesso à leitura dos hidrômetros, conta o leiturista. “Aos sábados e em alguns feriados temos que trabalhar para que o consumidor receba a conta em dia”, explica Júlio César que trabalha há anos em nossa cidade e percorre aproximadamente 10 km por dia.

Segundo o superintendente da autarquia, Marciano Zamarioli, o que atualmente mais causa ocorrências são as contas com valores maiores, que por falta de medição acabam acumuladas. “Facilitar a leitura e não danificar os hidrômetros fazem com que os usuários sejam os maiores beneficiados. Dispomos de equipes para fazer essas instalações, estamos à disposição para dúvidas e até mesmo negociações, mas os leituristas precisam fazer o seu trabalho, já que entregamos uma água de qualidade, com os devidos tratamentos para todos os pompeenses”, aponta o superintendente do SAAE.

Zamarioli explica ainda que “toda vez que o leiturista não consegue efetuar a leitura por algum impedimento, a cobrança é feita pela média dos últimos três meses”. A falta da medição dos registros de água causa não somente prejuízos aos consumidores, que correm o risco de ter surpresas no fim do mês, mas também as cofre da autarquia, que trabalha para entregar água e esgoto tratados e de qualidade aos munícipes.

O que fazer?

Muitas pessoas ficam fora de casa o dia todo e a medição é comprometida. Alguns deixam a chave do portão com o vizinho, outros conseguem combinar um horário para que a medição seja feita, mas os leituristas tentam de várias maneiras facilitar a vida dos usuários, eles disponibilizam até um contato telefônico para que as pessoas possam enviar um registro do hidrômetro que comprove a medição.

Quando esgotam as tentativas de visualizar o hidrômetro e não há acesso para leitura, a autarquia avisa os proprietários da necessidade de que seja feita, deixando um comunicado para que entre em contato com o SAAE.

“Nos colocamos a disposição da população, disponibilizamos inclusive um telefone exclusivo para isso, para que o consumidor em caso de incompatibilidade de horários consiga nos mandar uma foto do hidrômetro, que sirva como registro, mas ainda sim encontramos dificuldade para realizar a medição”, lembra o Zamarioli.

Vale lembrar que os dias das leituras estão sujeitos a alterações devido aos domingos e feriados, no entanto, mais ou menos nos mesmos dias a leitura é feita conforme pode-se observar na conta do SAAE, sendo assim, o ideal é se programar para que o acesso ao hidrômetro seja feito.

Para não acumular contas o ideal deixar o hidrômetro a vista ou passar as informações do pelos telefones 99647 1161 ou 3452 1202.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *